Subscribe Us

header ads

Otto Alencar entre os cinco melhores senadores do Brasil.




Escolha do nome do senador Otto Alencar (PSD) foi anunciada na entrega do Prêmio Congresso em Foco; trabalho em defesa dos baianos e do País.

Presidente da  Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e candidato à reeleição pelo PSD-BA, Otto Alencar, está entre os cinco melhores senadores do Brasil. O anúncio foi feito, na noite desta quinta-feira (25/08/2022), durante a entrega do Prêmio Congresso em Foco, que anualmente promove a escolha dos parlamentares destaques no Senado Federal e na Câmara dos Deputados. Concorrem ao prêmio parlamentares ficha limpa, que não são alvos de denúncia criminal e não respondem a ações penais ou de improbidade administrativa.


Essa é a quinta vez que Otto Alencar tem o trabalho reconhecido e é indicado na lista dos melhores senadores e deputados federais do Congresso em Foco. O prêmio está em sua 15° edição e se divide em duas categorias: geral e específica. Na categoria geral, são escolhidos os “Melhores no Senado” e “Melhores na Câmara”. Já na categoria especial – Otto Alencar foi escolhido por esse júri -, são senadores e deputados mais bem avaliados. O júri é formado por representantes do terceiro setor e das áreas empresariais, trabalhista e acadêmica, além de um integrante do Congresso em Foco, na condição de entidade organizadora do evento.


“É com gratidão e o coração cheio de felicidade que recebo o Prêmio Congresso em Foco. A Bahia me deu a honra de representá-la no Senado Federal. Estar entre os cinco melhores parlamentes de nosso País reforça ainda mais o meu compromisso na defesa incondicional dos baianos e das baianas e por um Brasil mais justo e melhor. É um incentivo para continuar trabalhando com muita dedicação, ética e firmeza pela liberdade e democracia, sem, contudo, cultivar a vaidade ou a intolerância”, disse Otto Alencar que, por atividades inadiáveis em sua agenda no Estado não conseguiu participar, em Brasília, da cerimônia de entrega do prêmio. Diap e Arko Advice – Otto Alencar figura na lista dos melhores parlamentares do Congresso Nacional, desde que ele chegou ao Senado, em 2015. São sete vezes seguidas entre os “100 Cabeças” do Congresso Nacional pelo levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) e outras quatro vezes entre os melhores na definição da Arko Advice. Médico, com mais de 35 anos de vida pública, o trabalho de Otto Alencar foi destaque nacional na CPI da Covid. A defesa da saúde pública, da vida, dos trabalhadores, da vacina para todos, revitalização do Rio São Francisco e mais recursos para estados e municípios sempre foram prioridades e bandeiras do seu mandato.


Atuação parlamentar

Além da CAE que comanda atualmente, já presidiu as comissões de Meio Ambiente; Especial do Desenvolvimento Nacional; Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática. Também integrou todas as comissões permanentes, entre elas: Assuntos Sociais; Constituição, Justiça e Cidadania; Transparência, Governança e Defesa do Consumidor; Meio Ambiente; Desenvolvimento Regional e Turismo.


É autor da PEC 50/2016, que após aprovada pelo Congresso Nacional, se transformou na Emenda Constitucional 96/2017. A EC liberou os esportes equestres, a exemplo da vaquejada, em todo o território nacional.


Autor da Lei 13.654/2018 que aumenta a pena para crimes com usos de explosivos e obriga os bancos a instalarem mecanismos que inutilizem as cédulas em caso de violação aos caixas eletrônicos. Votou contra as reformas da previdência, trabalhista, o trabalho intermitente e em defesa dos trabalhadores. Também disse sim ao auxílio emergencial de R$ 600,00 para trabalhadores informais na pandemia, trabalhadores da área de cultura e em favor das micro e pequenas empresas. Foi o relator do projeto de lei, aprovado no Senado, que resultou na lei 14.128/2021, determinando o pagamento de indenização pela União aos profissionais da saúde incapacitados permanentemente pela Covid-19. A indenização se aplica também no caso de morte pela doença, que deverá ser paga as famílias das vítimas.


Fonte Jornal Grande Bahia

Postar um comentário

0 Comentários